Casa do Cinza

"O amor não cogita de recompensa. É um sentimento que se basta." Dr. Odilon Fernandes


Deixe um comentário

ESPÍRITAS DOENTES

ESPÍRITAS DOENTES

 

Não, não estamos desejando nos referir àqueles companheiros de Ideal que, por vezes, a ele tanto se doam que, com o passar do tempo, terminam por observar, em pleno campo de luta, o declínio das próprias forças do corpo que dignificam na existência…

Nem tampouco nos referimos àqueles outros irmãos que, compreendendo a necessidade da quitação de débitos adquiridos no pretérito, renascem com problemas orgânicos que, não raro, os limitam em suas atividades em prol da Causa a que se consagram.

Ao escrever sob o assunto-título que nos inspira este arrazoado, queremos nos reportar aos confrades que, em sua militância doutrinária, por falta de defesas espirituais contra o personalismo e a vaidade, terminam por adoecerem do espírito gravemente. E, de maneira lamentável, na atualidade, são muitos os que se encontram quase que completamente tomados por semelhante quadro patológico de tratamento complexo e difícil…

São eles os que se supõem investidos de uma missão divina e se permitem alucinar em plena tarefa, ensejando, de forma concomitante, a atuação dos espíritos inimigos da Doutrina, que, em essência, são os adversários do Cristo no serviço de espiritualização da Humanidade.

Anulados em seu discernimento por absoluta falta de cultivo da virtude da humildade, passam a se crer na condição de luminares da Espiritualidade Superior encarnados na Terra, ou, então, medianeiros na posse de elevados mandatos que objetivam a reforma dos postulados de Allan Kardec, que, em seus Princípios básicos, sempre haverão de permanecer na vanguarda da Terceira Revelação.

De outras vezes, sem maiores pretensões, estabelecem conflitos que, se não se generalizam no Movimento, promovem inúmeras perturbações localizadas, influenciando dezenas e dezenas de espíritos invigilantes que, mentalmente, se lhes submetem aos preceitos de ordem pessoal, através dos quais extravasam as suas frustrações de mando e poder.

Criam eles tantos atalhos perigosos para os que, por si mesmos, não conseguem manter o foco no objetivo a ser alcançado, que se responsabilizam pela falta de aproveitamento real do tempo na encarnação dos grupos que passam a dominar, manipulando-os ao seu talante.

Repetimos: nos dias que correm, são muitos os espíritas adoecidos pela incontida ânsia de se revelarem mais do que efetivamente são, porque, para que realmente se tornassem grandes, não souberam se apequenar, aprendendo a servir ao lado daqueles que se engrandeceram nas últimas fileiras do testemunho a Jesus Cristo!…

Acautelemo-nos para que, assim adoecidos, eles não nos adoeçam, e para que, doentes por nossa vez, não nos transformemos em agentes do contágio da enfermidade que se generaliza em nossas fileiras, vitimando companheiros que, em outras circunstâncias, haveriam de ser de extremo valor para a Causa.

Poucas são as mentes e poucos são os corações que, diante da luz esplendorosa que o Espiritismo irradia, se encontram imunes ao deslumbramento que nos pode impedir a visão de nossas deficiências e imperfeições, na falsa impressão de que a claridade que se projeta em torno de nossos passos parte de nós mesmos, e não da inesgotável fonte de luz que ele representa em nossas vidas.

Se assim, porventura, detectamos em nós o menor traço da doença espiritual que têm comprometido a encarnação de tantos e tantos irmãos de fé espírita, ao ponto de eles se considerarem mais saudáveis que outros, peçamos a Jesus que nos auxilie na cura de tão grave mazela, nem que para isto necessitemos de experimentar qualquer abalo que, de inesperado, nos reduza à nossa própria insignificância.

Mil vezes cair, do que continuar caminhando equivocadamente, sem a bênção de uma pedra que nos intercepte os passos!…

 

INÁCIO FERREIRA