Uncategorized

OS CUIDADOS DE CHICO XAVIER com a saúde – PARA NOSSA REFLEXÃO.

Uberaba, 17/02/1989
Prezado Jhon, sempre estimado amigo
Deus nos abençoe.
Saúde e paz, alegria e bom ânimo a você, Renata e Gabriel, extensivamente à Arlete, a seu pai e a todos os familiares são os meus votos.
Tenho recebido as suas notícias e agradeço a você por toda a sua bondade. Hoje, escrevo a você explicando a minha verdadeira situação de saúde. É assunto só para nós e para os íntimos para evitar alarmes desnecessários. Explico-me: Em julho do ano passado, adquiri uma pneumonia que me colocou quarenta dias de cama. Logo que melhorei me apareceu uma grande infecção renal, que me exigiu um pesado tratamento antibiótico, utilizando-se a injeção Novamin que é muito dolorosa. Melhorando da infecção, minhas articulações acusaram muitas alterações, dificultando-me os movimentos. Comecei a andar dificilmente, estado em que me vejo até hoje. Com o auxílio do Dr. Bezerra de Menezes e de outros Amigos Espirituais, eles me recomendaram solicitar dos médicos amigos uma pesquisa minuciosa e descobriu-se que fui atacado por um “vírus” resistente e contagioso, ainda não classificado.
Alimento-me razoavelmente bem, mas os médicos me proibiram dar a mão aos amigos, especialmente as crianças para evitar o contágio e continuo em tratamento diário, mas procuro agir cuidadosamente. De dois meses para cá, vou às reuniões do nosso Grupo, somente aos sábados, mas não posso cumprimentar aos irmãos de trabalho e de fé, qual sempre fiz.
Devo voltar para casa, logo no encerramento da reunião e evito o contato com crianças a benefício delas mesmas. O “vírus” referido tem resistido a todos os tratamentos, mas não se ampliou de área e tenho a esperança de que em breve estarei livre. Ele persiste porque me achou com menor resistência, em razão de minha idade avançada, mas continuamos a combatê-lo.
Estou explicando isso a você, não para preocupá-lo, mas para dizer que é aconselhável que você, Renata e Arlete adiem a viagem para cá por mais algum tempo, até que essa “carga virótica” de que sou portador desapareça. Penso no Gabriel que poderia, através de vocês, receber alguma contaminação e não me perdoaria se não escrevesse a você, contando o que ocorre, para evitarmos problemas desagradáveis.
Rever vocês e abraçá-los será para mim uma grande alegria, mas devemos enfrentar os fatos com realidade. Estou melhorando, porque não piorei, mas considero importante que vocês venham quando eu tenha tido alta dos médicos afim de receber os amigos.
Sei que você me compreenderá e me perdoará o contratempo. Assim espero e continuemos confiando em Jesus. Lembranças para Renata, Gabriel, Arlete, seu pai e seus irmãos e receba um grande abraço do seu irmão e servidor de sempre. Chico Xavier.

Fonte: Facebook- Grupo Bezerra de Menezes

Mensagens enviadas, Uncategorized

Mensagem a seara espírita – Maria Modesto Cravo – 20/09/19

Mensagem

Havia uma penumbra astral pesada sobre o velho mundo. Paris, Lisboa e Barcelona eram endereços de organizações milenares nos umbrais.
Milhões de espíritos que sobrecarregavam a psicosfera, sob acordo feito entre esferas diversas da justiça e da ordem no mundo espiritual, foram transplantados para a terra brasileira.
Nos últimos 150 anos renascem por aqui os religiosos e políticos mais comprometidos consciencialmente nos últimos 2000 anos da humanidade.
Viscerais, arrogantes, díspares e inteligentes. Todos sofrendo o mal psicológico e emocional do vazio existencial por efeito da hipocrisia.
Larga parcela destes renasceram na comunidade espírita e trouxeram junto um montante de compromissos obsessivos severos.
Impossível pensar as dores e feridas da comunidade espírita sem imaginar essa “carga astral coletiva” que opera todo um conjunto de velhas ideias e condutas, cujo propósito é a manutenção do poder e da vaidade.
Vivemos um momento em que, em meio ao tumulto da transição, a enfermaria do movimento espírita tornou-se um campo de lutas infelizes refletindo velhos hábitos de domínio, que atestam a fragilidade e o estado depressivo decorrentes das lutas íntimas em nossa seara bendita.
O movimento espírita é uma grande enfermaria com almas profundamente adoecidas. Estamos todos integrando essa “monada de espíritos” em franca obsessão coletiva de falência consciencial desde o velho mundo, apenas renascidos em novo berço. Pertencemos todos, sem exceção, ao grupo dos servidores falidos de última hora que recebeu a atenção amorosa do Cristo. Hora da guinada espiritual meus irmãos!
Mais que conhecimento, necessitamos urgentemente de atos de gentileza e fraternidade.
Nossa esperança reside em vê-los agindo com coragem e ousadia, a vós pertinentes, para construir novas saídas para tanta acomodação e certeza. A reencarnação está encerrando. Aproveitem-na para libertar suas consciências.
Alegramo-nos de coração com todos aqueles que conseguem um passo de inovação e amorosidade no rumo de novas experiências, que garantam vivacidade, brilho moral e encanto com a Doutrina Espírita e o Evangelho do Cristo no próprio coração. Não é fora. É dentro de si mesmos que tudo acontece.
Desiludam-se, definitivamente das obras externas. Vocês renasceram para salvar a vocês próprios. Nada mais!
Trabalho para fora: movimento.
Trabalho para dentro: redenção.
Comunidade espírita, irmãos da grande luta, abdiquem de suas certezas, repudiem o adormecimento na soberba do conhecimento e avancem, quanto puderem, na coragem de reconhecerem seus limites.
Mais afeto e bondade, mais acolhimento e esperança.
Hora da guinada espiritual meus irmãos!
Que Deus nos proteja nessa nova caminhada.
Eu, Maria Modesto Cravo, vos abençoo em nome de Jesus Cristo e na luz do bem.
_______________
Psicografia de dona Modesta pelo médium Wanderley Oliveira, às 07:49 Hs de 20/09/19, em São Paulo.

Alfred Schutz, Uncategorized

Nova Psicografia de Alfred Schutz

Filhos e Filhas deste Plano Físico, É com muita Alegria que a nossa mensagem se propaga para que haja uma compreensão mais ampla dos tempos que vivemos na atualidade. A transição planetária também acontece no nosso plano espiritual, então, há filas de espíritos querendo uma última chance para que possam ter merecimento para viver numa Terra regenerada! Queridos, vocês não tem ideia o quanto vale a pena estar encarnado, pois muitos de vocês se não estivessem no corpo abatendo seus karmas, provavelmente, já estariam em translado para um Planeta mais primitivo. Enquanto vocês sofrem com seus pequenos problemas egoístas, há uma convocação do Plano Espiritual para que saiam do marasmo agora mesmo! Eu tenho presenciado na Equipe na qual trabalho em minha Colônia as prestações de contas dos recém desencarnados e, infelizmente, vejo grande parte dos recém desencarnados, sendo notificados que farão parte de uma humanidade primitiva! A Boa Notícia que vos trago é que se houver mudança a curto prazo, faremos a nossa parte em acelerar o seus processos evolutivos, ou seja, ajudaremos na melhora da postura e da qualidade de vida de cada um. Conforme já disse, não venho com respostas prontas, típicas dos autores encarnados que vendem livros de autoajuda. Queremos um compromisso firme e decidido, aonde vocês façam a sua parte para se livrarem do sentimento de culpa, ressentimento, autopunição e dos pensamentos viciados e repetitivos! A divisão de tarefas vem com a distribuição das responsabilidades. Quem se esforçar obterá ajuda, quem ficar parado ou querer apenas se vitimizar, ficará em sintonia com os desencarnados involuídos. Não prometemos facilidades ou favores, pois as promessas feitas sem um acordo entre partes conscientes e ativas, é um pacto maligno na qual se paga com a Alma. A terra está no início das dores, já que as bases que sustentam a civilização materialista precisam ruir! A percepção de progresso sempre baseado na mentira e numa certa encenação entre as pessoas, precisa sofrer uma mudança de paradigmas. A atual humanidade é um jogo com dados viciados que só mudará com conflitos e crises significativas. Caiam na real, os atuais detentores do Poder cairão com muita violência, mas eles são bastante agressivos, agindo na surdina em prejuízo do coletividade! Seria fácil, eu lhes falar para rezarem pela Paz para que a violência seja atenuada, mas quero que vocês se preparem para a reconstrução porque a humanidade com seu materialismo será abalado, inexoravelmente! Se antecipem em atitudes da Terra regenerada, sendo tolerantes, humildes, misericordiosos e simples. Sejam mais objetivos e não usem modos de agir teatrais num espetáculo triste em querer mostrar aquilo que não são! Parecer e não Ser, eis a fenomenologia da espiritualidade inferior. O Poder Político das ditas democracias sofrem infiltração do narcotráfico, indústria de armas e farmacêutica sempre a fabricar novas doenças! Afinal de contas, o Estado Islâmico faz ataques com armas modernas fabricadas nos países desenvolvidos! Uma onda de barbárie medieval se abaterá sobre as Nações mais desenvolvidas. O Brasil passará a próxima década apurando a corrupção que devastará a classe política em geral. As Nações Unidas do Hemisfério Sul já são uma realidade no Plano Espiritual e, caberá ao Brasil a sua Liderança! Não fujam dos problemas, aprendam a resolvê-los sem tanto drama e com mais ânimo. O recado de hoje é simples: quem encarar com disposição suas carências existenciais terá milhares de dádivas com karmas atenuados no futuro. Uma nova era será composta por homens e mulheres que saibam inovar diante dos desafios. Recebam o abraço deste sociólogo no Plano Espiritual que lhes quer Bem, Alfred Schutz.

Enviado por Generosa Barcelos

Psicografia da FEESP (Federação Espírita do Estado de São Paulo)

Mensagens enviadas, Uncategorized

O ódio

 

Amai-vos uns aos outros, e sereis felizes. Tratai sobretudo de amar aos que vos provocam indiferença, ódio e desprezo. O Cristo, que deveis tornar o vosso modelo, deu-vos o exemplo dessa abnegação: missionário do amor, amou até dar o sangue e a própria vida. O sacrifício de amar os que vos ultrajam e perseguem é penoso, mas é isso, precisamente, o que vos torna superiores a eles. Se vós os odiásseis como eles vos odeiam, não valereis mais do que eles. É essa a hóstia imaculada que ofereceis a Deus, no altar de vossos corações, hóstia de agradável fragrância, cujos perfumes sobem até Ele.

            Mas embora  lei do amor nos mande amar  indistintamente  todos os nossos irmãos, não endurece o coração para os maus procedimentos. É essa, pelo contrário, a prova mais penosa. Eu o sei, pois durante minha última existência terrena experimentei essa tortura. Mas Deus existe, e pune, nesta e na outra vida, os que não cumprem a lei do amor. Não vos esqueçais, meus queridos filhos, de que o amor nos aproxima de Deus,e o ódio nos afasta dele.

FÉNELON

Bordeaux, 1861

Mensagens enviadas, Uncategorized

Só o amor nos salvará -Mensagem de Bezerra

download

SÓ O AMOR NOS SALVARÁ

Espírita, irmão!..
Onde o ódio cria abismos, o amor edifica pontes.
Precisamos de pontes.
Pontes que nos permitam ir além de nós mesmos para encontrar no coração do próximo nossa melhor expressão, a nossa condição de filhos de um pai, único, Deus, amor em plenitude e paz.
Busquemos amar, amar sempre. Só o amor nos salvará.
A violência gera caos e destruição, todavia, o amor constrói, onde brota, um pedaço do céu.
Irmãos queridos, não nos iludamos… Só o amor nos tira da escuridão.
Ele é a própria luz de Deus.
Quando desejarmos saber por onde ir, recordemos Jesus e suas lições: meus discípulos serão conhecidos pelo amor…
Com amor, superaremos o mal e haveremos de transformar nossa realidade de dor, pois no amor encontraremos de novo, para além de nossas limitações, o próprio Cristo com sua paz e bênçãos de vida em abundância.

Bezerra de Menezes
Mensagem psicografada pelo médium Jorge Bichuetti, na noite de 05/10/2018, na Casa da Cultura Espírita de Uberaba.

Uncategorized

O Transe Mediúnico – Cap. 13 – TIPO DE MEDIUNIDADE

                            Cap. 13 – TIPO DE MEDIUNIDADE

21. Acontecerá o mesmo com aqueles que têm uma aptidão especial para o desenho e a música?
— Sim; o desenho e a música são também modos de se exprimirem pensamentos; os espíritos utilizam os instrumentos que lhes oferecem mais facilidade. (Cap. XIX-Papel do médium nas comunicações espíritas)

 

A aptidão mediúnica se revela em cada médium de acordo com a sua capacidade de captar e expressar o pensamento dos espíritos.

A rigor, ninguém pode dizer ao médium que ele seja portador desta ou daquela faculdade.

Às vezes, por exemplo, ele começa como psicógrafo e, depois, se define como psicofônico, ou vice-versa.

O Transe Mediúnico 61

O medianeiro não deve cultivar prefe- rência por este ou aquele tipo de mediunidade, fugindo às suas características naturais.

Em essência, a base das faculdades mediúnicas de efeitos intelectuais é a mesma, não diferindo substancialmente uma da outra.

Mediunidade é pensamento a pensa- mento.

Quem enxerga ou escuta os espíritos, os escuta ou enxerga através do pensamento.

Os espíritos poetas procurarão um medianeiro que tenha facilidade no campo da poesia.

Os espíritos pintores escolherão um sensitivo que possua predisposição para a arte da pintura.

Raros são os médiuns que, pos- suindo múltiplas faculdades, conseguem atuar em todas elas. A faculdade mediúnica predominante absorverá as demais, que, assim, passarão a concorrer pela melhor produtividade da que se destaca.

A insatisfação do médium com a faculdade de que seja portador, desejando

62 Carlos A Baccelli / Odilon Fernandes

outra que não possui ou, ainda, ambicionando a que determinado medianeiro exerce, prati- camente o anula para a execução da tarefa que esteja ao alcance de suas possibilidades.

Infelizmente, muitos médiuns, dotados de excelentes recursos medianímicos, diga- mos, menos dados à publicidade, compli- cam-se por não se contentarem com os discretos, porém úteis talentos que lhes foram confiados.

Mediunidade mais ampla é sinônimo de sensibilidade que se amplia.

Não nos esqueçamos de que a faculdade que Jesus m ais exercia em seu ministério divino era a da cura! Ele ressuscitava os mortos, fazia andar os paralíticos, devolvia a visão aos cegos, curava obsedados, por meio da simples imposição das mãos.

O Senhor endossava com as mãos a excelência da M ensagem que verbalizava.

A importância, pois, do médium em serviço não está na espécie da faculdade mediúnica que exerça, e, sim, nos frutos que advenham de seus esforços.

Discreto dom mediúnico trabalhado com amor vale mais, para a Doutrina, que a m ais expressiva faculdade exercida com vaidade e personalismo.

Ansiando por incorporar espíritos, poucos são os que se lembram de incorporar as lições de Jesus no cotidiano, transfor- mando-se em exemplos vivos do Evangelho.

Querendo psicografar livros, raros os que se dispõem a grafar, com a própria vida, as noções que despertam as consciências secularmente adormecidas.

Médiuns de espíritos se multiplicam em toda parte, todavia médiuns do Cristo no mundo continuam sendo muito poucos. E são justamente estes últimos os detentores das m ais preciosas e nobres faculdades postas a serviço da crença na Imortalidade entre os homens na Terra!

Carlos A. Baccelli / Odilon Fernandes

Carlos Baccelli, Odilon Fernandes, Uncategorized

NA PRÓXIMA DIMENSÃO – Cap. 12

— Eu estou bem! E o senhor, como está? — retrucou o fundador da “Casa Transitória”, benemérita instituição existente na capital de São Paulo.

— Você não perde o hábito de me tratar de senhor, não é mesmo? — retrucou Batuíra. Olhe que eu estou mais rejuvenescido do que você…

Sorrimos descontraidamente e Gonçalves explicou que, na companhia dos irmãos Weaker Batista e Clóvis Tavares, também estava participando da recepção que o Mundo Espiritual oferecia ao médium Chico Xavier.

— Ele e o senhor, desculpe‐me — acrescentou —, ele e você nos auxiliaram muito com as orientações de que necessitávamos na “Transitória”; o Chico sempre foi um grande amigo e benfeitor… Desde Pedro Leopoldo, tivemos a alegria de acompanhar a sua trajetória mediúnica de verdadeiro missionário do Cristo.

— De fato, agora podemos falar a respeito — disse Batuíra, cujos traços biográficos não me eram de todo desconhecidos na luta que sustentara por amor ao Ideal.

Entrementes, se aproximaram para participar do diálogo o Weaker e o Clóvis, que, até então, se haviam mantido a certa distância, atendendo a três Espíritos de sofrida aparência que os interpelara.

— Weaker, estamos nos referindo à grandeza de espírito do nosso Chico… Você que conviveu mais de perto com ele durante tantos anos, poderá se expressar com maior conhecimento de causa, não é? — falou Gonçalves ao companheiro que eu igualmente conhecera à frente das atividades do “Grupo Espírita da Prece”.

Franzindo o cenho, Weaker comentou com certa tristeza no semblante:

—‐ Infelizmente, qual aconteceu a muitos dos que puderam conviver com ele, eu também não consegui atinar com o seu real valor, senão quando deixei o corpo, onde os equívocos se nos fazem tão frequentes; não estou querendo me justificar, mas, embora tenha aproveitado muito na convivência diária com Chico, a verdade é que eu poderia ter assimilado mais, caso o meu espírito, em determinadas situações, não se tivesse mostrado tão rebelde…

— Ora, Weaker — aparteou Clóvis Tavares, que, na cidade de Campos, Rio de Janeiro, fundara, sob a inspiração do médium, a “Escola Jesus Cristo” —, não se recrimine… A verdade é que a luz intensa costuma deslumbrar os nossos olhos acostumados à sombra. Como é do seu conhecimento, estive com o Chico diversas vezes e, durante longos anos, nos correspondemos.

40 – Carlos A. Baccelli (pelo Espírito Inácio Ferreira)

Estive em Pedro Leopoldo, Uberaba, e ele esteve conosco em Campos, inclusive descansando por uns dias em nossa casa de praia em Atafona; pois bem, igualmente confesso que, por maior fosse a minha admiração e o meu respeito a ele, eu não sabia que estava lidando com um Espírito de tal envergadura…

— Permitam‐me a intromissão — falei, tomando a defesa do amigo que sempre me tratara com tanta gentileza, nas poucas vezes em que visitara Chico Xavier na “Comunhão Espírita‐Cristã” —; eu também me penitencio, Weaker, pois, para mim, Chico não passava de um grande médium, nada mais do que isto… No entanto, se algum de nós, ainda na carne, tivesse identificado a sua estatura espiritual ou tido a convicção plena de que se tratava do próprio Codificador reencarnado, é possível que extrapolássemos em nosso relacionamento com ele, criando‐lhe sérios embaraços; bastem já os obstáculos que, involuntariamente, lhe causamos com as nossas descabidas exigências ou pontos de vista personalistas…

Concordando comigo, a irmã Yvonne Pereira observou:

— Para os próprios apóstolos, o Cristo só foi compreendido em sua grandeza divina após o episódio de sua ressurreição; até então, Judas o traíra e Simão Pedro o negara… Se não se tivesse confirmado a vitória do Mestre contra a morte, constatada por Maria de Magdala, é possível que os onze tivessem recuado da tarefa de levar adiante a Boa Nova…

— Bem lembrado, Yvonne — enfatizou Carmelita. E não olvidemos que, para incentivá‐ los, o Senhor permaneceu durante quarenta dias concedendo‐lhes aparições e proporcionando advertências de viva voz, tendo‐se, inclusive, mostrado redivivo, na Galileia, a quinhentos discípulos de uma só vez… O Grande Paulo de Tarso não se teria convertido ao Cristianismo, se o Senhor não lhe tivesse aparecido de forma insofismável, às portas de Damasco, orientando‐o em seus passos iniciais.

— Meus irmãos — confortou‐nos Odilon —, a misericórdia de Deus e o nosso querido Chico saberão relevar as nossas deficiências; o importante é que continuemos cumprindo com os deveres que nos são comuns, dignificando o esforço daqueles que nos inspiram a ser melhores do que somos. A existência física e os exemplos do nosso irmão recém‐desencarnado, nos servirão de material de reflexão para muito tempo; o trabalho que se nos desdobra à frente é gigantesco e não podemos perder tempo com lamentações…

— Estou de acordo, meu amigo — interveio Batuíra —; se algo fizemos sobre a Terra, muito ainda nos compete realizar e, conforme asseverou Léon Denis, na exortação que nos dirigiu ainda há pouco, o futuro nos aguarda e não nos furtaremos à bênção de um novo recomeço. Se não somos o que gostaríamos de ser, pensemos nos milhões de companheiros que, nos Dois Planos da Vida, ignoram completamente as mais rudimentares lições com que a Doutrina já nos favorece. Estamos a queixar‐nos da luz diminuta que nos clareia o caminho, a esquecermos, porém, que ela é do tamanho exato das luzes do nosso próprio entendimento. Se aspiramos a seguir Chico Xavier em sua ascensão aos Páramos Superiores, tratemos de fazer mais e melhor…

— Ora, Batuíra! — pontificou Gonçalves ao estimado Mentor. — Este, sem dúvida, não é o seu caso…

— Por que não? — replicou o lúcido seareiro.

— Acaso terei abdicado da minha condição humana? E você, Cairbar, que nada diz? Em

que estará a pensar?…

— Estou pensando que quase todos nós estivemos próximos do que almejamos, no entanto faltou‐nos coragem e maior desprendimento para o passo decisivo… Não nos doamos por inteiro ao Senhor; algo, que não sei definir, ainda nos prendia ao “eu”… Com certeza, não soubemos responder com ações à célebre indagação do Mestre endereçada aos seus discípulos de todos os tempos: “Que fazeis de especial?”

Meditando por momentos, acentuou:

— Pessoalmente, o que mais me valeu deste Outro Lado foi ter‐me dedicado aos mais pobres; nada, coisa alguma se compara ao nosso envolvimento pessoal na prática do bem… Escrevi muito, publiquei diversos livros, proferi conferências, fundei instituições, enfim, tenho consciência de que cooperei, numa época difícil, com a expansão da Doutrina, mas, em nível de consciência, só me sinto tranquilo quando me ponho a pensar nas lágrimas que enxuguei, nas dores que amenizei e no amor que distribui com os meus semelhantes… Pugnar pela Fé Espírita no mundo é algo que, de certa forma, ainda nos envaidece, porque nos coloca no palanque da evidência e, infelizmente, neste sentido muitos se equivocam, abdicando do trabalho que devem realizar no âmago de si mesmos; a ocupação com a difusão dos nossos princípios, não nos dispensa do esforço intransferível da própria renovação… A pergunta de Jesus aos companheiros deve também nos soar aos ouvidos com o seguinte significado: “Que fazeis de especial em vós para vos tornardes especiais para os outros?” Então, de minha parte, posso dizer‐lhes que nada fiz de especial…

Mensagens enviadas, Uncategorized

VIVENDO ESPIRITUALMENTE

VIVENDO ESPIRITUALMENTE

Por Balbino Amaral Filho

Porque ainda não compreendemos os nossos verdadeiros caminhos?
Que caminhos são esses, que muitas vezes nos fazem desistir de nossos ideais?
Esquecemos que as nossas conquistas principais, não são somente as conquistas materiais, e sim as que nos aproximam de fato, dos valores espirituais, que nos fazem reconhecer as sublimes virtudes da vida.
Se hoje vivo e respiro, faço parte deste imenso Universo Divino! Com certeza temos um grande papel nos desígnios do Criador.
Somos Espíritos eternos em busca da luz!
Todos nós evoluímos, e cada um carrega a sua bagagem, ou seja, carregamos as nossas sementes, que deveremos semear em nossos caminhos, e assim seremos responsáveis pela nossa semeadura.
Mas porque é tão difícil percorrermos os nossos obstáculos?
Muitas das vezes desanimamos ao percorrê-los. São como montanhas intransponíveis, jamais alcançadas pelos nossos objetivos. Esquecemos de nossas capacidades, de nossas forças! Não pensamos adequadamente, e por isso nos perdemos.
A solução não se encontra em nossas dúvidas, e em nossas fraquezas, e sim na possibilidade que temos de encontrar com o nosso maior adversário, o nosso eu, o nosso íntimo! Enfrentando-o através de um instrumento que todos nós possuímos, a vontade.
A Fé é o nosso grande caminho em nossas reflexões diárias, confiando sempre em Deus, e devemos nos esforçar cada vez mais, em atingir os meios necessários ao nosso aprimoramento espiritual.
Vivendo espiritualmente, com amor, resignação e perseverança nos caminhos do bem.
Assim teremos condições em prosseguirmos, alcançando os degraus disponíveis nas diretrizes, necessárias a nossa evolução.
Não importa os espinhos que encontraremos através da dor e do sofrimento. O importante é a certeza em alcançarmos os esclarecimentos necessários ao nosso aprimoramento moral e intelectual.
Auxiliando sempre aqueles que encontrarmos pelo caminho, agradecendo sempre ao Pai pelas oportunidades que recebemos.
A cada passo, um novo degrau a transpor, e em Deus sairemos vitoriosos na conquista da luz.

Muita paz e luz!

Balbino Amaral Filho- 07/09/2014.

A imagem pode conter: céu, oceano, nuvem, atividades ao ar livre e água